Celebrar as Bodas de Diamante

Benedita – Portugal

A 13 de Abril de 1946 chegaram à Benedita as Irmãs Servas de Nossa Senhora de Fátima acompanhadas pela superiora geral e fundadora da Congregação, Luiza Andaluz. A pedido do Padre José Coelho Susano, pároco da Benedita, as Irmãs vieram nessa data dirigir e orientar o Centro Social Paroquial da Benedita, que celebra neste mesmo dia a sua criação.

Ao longo destes 75 anos, muitas irmãs por aqui passaram e aqui se doaram. Fica a gratidão pelo testemunho e herança que recebemos, cujo fruto institucional mais visível é o próprio Centro.

Mesmo em tempo de pandemia a criatividade do amor não impediu que se celebrasse com segurança este momento. O convite para nós irmãs, irmos até ao Centro Social, contar às crianças como tudo começou, a celebração da Eucaristia presidida pelo D. Daniel Batalha Henriques, a homenagem feita pela junta freguesia da Benedita ao colocar o mural com a imagem de Luiza Andaluz, na rotunda com o seu nome, foram manifestações que nós irmãs acolhemos com muita alegria e gratidão.

Ao olhar para a imagem da venerável Luiza Andaluz nesta rotunda, central na Benedita, que tem ao fundo a Igreja e por onde convergem e divergem os caminhos por onde tantos passam e relendo o que ela escreveu, em 1923, no retiro que antecedeu a fundação  da congregação: o pensamento que me domina o desejo e ânsia constante do meu coração é procurar os meios de atrair todas as almas ao Sagrado coração do meu Jesus, tem-se a certeza da fé que no céu ela continua esta missão, intercedendo pelos Beneditenses e por cada uma de nós irmãs Servas de Nossa Senhora de Fátima que aqui vivemos.