Peregrinando com o Coração de Jesus até à Faniqueira

Passeio Comunitário das Irmãs em Sesimbra

O Movimento do Apostolado de Oração, organizou um dia de peregrinação para celebrar os 175 anos do Movimento e os 132, do mesmo, na paróquia do Castelo de Sesimbra.. Foi na véspera da Festa do Coração de Jesus, dezassete de Junho.

Convidaram-nos a participar. Aceitámos a proposta e decidimos logo que seria também o passeio da comunidade, em ambiente de peregrinação, oração, convívio e apostolado. Assim, as boas da religiosas lá vão até ao Mosteiro das Visitandinas na Faniqueira, perto da Batalha, onde nos aguardavam com pompa e circunstância as Contemplativas, que também iam aproveitar a ocasião de Celebrar connosco.

Um pouco curiosas, íamos, por ver onde tinha estado a nossa Irmã Adélia Dourado, que bem conhecemos, e onde havia essa tal capela de Santa Margarida de Alacoque, pois todas sonhávamos ouvir, lá, Jesus também a falar-nos. E assim foi, os sonhos foram realizados.

Vamos descrever o dia: Saímos pelas 9H00 ao som de algum acolhimento, as saudações, apresentações mínimas e Laudes cantadas. Foi também lido um texto de uma reflexão feita pelo Padre Dário Pedroso que nos falava com muita beleza, do Coração de Jesus citando S. Tomás de Aquino e S. Bernardo, onde era dito que sempre que aflitos aí se iam encontrar e traziam sempre resposta. Depois o terço, sendo lidas algumas passagens da nota ou da Carta pastoral para o efeito.

Ao chegar, celebrámos a Eucaristia, presidida pelo nosso pároco e animada pelo grupo. Foi um momento alto. A Capela estava muito bem ornamentada e tudo convidada ao ENCONTRO. Parecíamos a Nossa Madre de joelhos no supedâneo…em Pamplona!

Em seguida, almoço no restaurante “Tromba Rija” nas redondezas da Batalha e, em seguida, tivemos um tempo de adoração na capela das Irmãs orientado pelo pároco e pela Ir. Susete. Nesta oração também não faltou a nossa Madre Fundadora, nos seus pensamentos e escritos.

Chegou a 3ª parte tão ansiada., a conferência no Locutório, mas qual não é a surpresa, quando a comunidade toda nos aguardava. Pediam-nos que fizéssemos perguntas. Assim foi, não faltaram perguntas. Falaram de como o mundo chega todos os dias ao Mosteiro, pelos muitos pedidos de oração, do valor e alegria do silêncio. Algumas irmãs ainda tinham conhecido a Ir. Adélia.

Contaram-nos um pouco a história do Mosteiro, de ter chegado ali depois da perseguição e da saída de Lisboa. Veio o modo de ocupar o tempo. Vieram então os tais bentinhos, tão pedidos que nem tem mãos a medir. Foi uma hora de emoção para muita gente. Têm 4 irmãs jovens (mas com mais de 37 anos) que vieram do Ruanda e estão a gostar muito de estar cá em Portugal.

Depois as doações, os presentes em livros e bentinhos, as compras, as ofertas. Todos ficaram muito sensibilizados. Tudo foi muito bom. Foram as despedidas e os pedidos individuais.

No regresso cantámos as Vésperas e, por fim, o vira-Maria que muito alegrou a Malta. O Pároco animou bastante, com as cantigas do nosso folclore e levou outros/as a cantar também. Terminou assim, em alegre convívio, mais um dia de reflexão e de preparação para a próxima ida a Fátima, para assinalar a data. Todas as irmãs gostaram e saíram mais enriquecidas deste passeio. E o que disseram elas? Foi o mesmo do ciganinho quando lhe deram o bolo e perguntaram o que se diz?: Quero mais! Contudo também disseram: Bem-Haja por este dia de tanta intensidade de fé no Coração de Jesus.

A Comunidade de Sesimbra