Jornada Andaluz em Guiné-Bissau

No dia 30 de junho 2018, a Família Andaluz, teve a sua jornada anual sob o lema” Sede Santos porque eu o Senhor  Sou Santo”(1ª Ped.1,16).  Este lema  foi motivado pelo grande acontecimento  do reconhecimentos das virtudes heróicas da Venerável  Luiza Andaluz. Foi uma actividade conjunta entre o grupo de adultos e jovens.

 A Jornada iniciou com uma oração de louvor, com cânticos e salmos particularmente o salmo 8  o cântico Col 1. 12-20,  e um texto da Exortação Gaudet et Exultate cap. I nº 3 a 10 do Papa Francisco  proporcionando desde logo um contacto orante com o tema escolhido. Depois a Dr. Rosa Robalo, proferiu  uma reflexão  introdutória ao tema, como motivação para a correlação do tema com as virtudes da Venerável Luiza Andaluz, onde, com a enfase que lhe é peculiar, sublinhou que  a partir do nosso baptismo todos temos uma única vocação, que é sermos Santos, porque criados à Imagem de Deus e redimidos por Cristo que se fez nosso Irmão.

Em seguida, cada participante recebeu um envelope com os postais das Virtudes. Dividiram-se os grupos de reflexão onde cada um deles reflectiu sobre três virtudes. Foi um tempo de trabalho de grupos muito envolvente e participativo, havendo  respectiva partilha pelos  secretários dos grupos, onde expressaram a vivência de cada grupo, referindo no entanto, que apesar de tudo, muito ficou por dizer, dado que, não é fácil exprimir a riqueza de uma vida  tão plena de Deus, como foi a da Venerável Luiza Andaluz.

O momento mais pessoal, significativo e emocionante, foi o dos testemunhos, onde cada participante teve a oportunidade de comunicar a influência que Luiza Andaluz teve e tem na sua vida. Foi possível sentir que em muitos, Luiza Andaluz é uma presença diária na sua vida. Isto dito tanto por adultos como por Jovens.

O Convívio entre os participantes foi também um momento importante, dado que com a presença dos novos elementos das diferentes paróquias, alguns era a 2ª vez que se encontravam. E como não podia deixar de ser,  não perdemos a oportunidade de partilhar também os nossos “pães e peixes”, para o lanhe, que abundantemente cada um trouxe de casa, para restabelecer as forças. Momento de festa grande, foi  da presença do nosso bispo D. Câmnate que, sem ser convidado, quis marcar a sua presença amiga deixando-nos palavras de estímulo para o seguimento de Jesus e serviço da Igreja e da Sociedade Guineense tão carenciada,  como frutos  da arvore frondosa de virtudes da Madre Fundadora e agradeceu a nossa presença e a riqueza que somos para a Igreja da Guiné.