Cronologia

Navegue na cronologia clicando nas etiquetas que estão na barra temporal ou avançando e recuando nas setas. Por baixo da cronologia pode também consultar as diferentes datas por extenso.

 

 

1877 ─ 12 de Fevereiro:  Nascimento, em Santarém;
          15 de Março: Baptismo na Igreja da Graça.

1884 ─ 20 de Março: Primeira Confissão.

1889 ─ 13 de Abril: Primeira Comunhão.

1891 ─ Primeira missão confiada pelo Cardeal Patriarca, D. José Neto.

1895 ─ Apresentação oficial na Corte, em Cascais.
          23 de Julho: entrada na Associação das Filhas de Maria.

1902 ─ Reorganiza, com sua irmã Eugénia, as Associações do Apostolado de Oração e das Filhas de Maria.
          19 de Setembro: falecimento da irmã mais nova, a Anica.

1903 a 1905 ─ Toma parte na recepção ao rei Eduardo VII, em Sintra, quando da sua visita a Portugal.
 
1910 ─ 5 de Outubro: implantação da República.

1913 ─ 28 de Fevereiro: falecimento da mãe, Ana Joaquina, em Cascais.

1914 ─ 7 de Julho: reabertura da Escola e Casa de Trabalho no Largo de S. Julião, em Santarém.
          30 de Julho: falecimento do pai, António Júlio, em Santarém.

1915 ─ 19 de Março: Despedida da Eugénia que parte para o Carmelo da Imaculada, perto de Pamplona.

          15 de Agosto: No Carmelo da Imaculada, sente o apelo à vida religiosa. Ao pedido de entrada no Carmelo, recebe a resposta afirmativa da Prioresa mas terá de aguardar. É enviada para o campo do apostolado activo. Peregrinação a Lourdes.

1917 a 1922 ─ Vai todos os anos ao Carmelo de sua irmã Eugénia. Mas é sempre reenviada para os trabalhos de apostolado. Continua a trabalhar nas Escolas de Lisboa.

1917 ─ Aparições de Nossa Senhora em Fátima.

1918 ─ 21 de Dezembro: Depois de fazer constar que receberia todas as meninas que ficassem órfãs, devido à doença da pneumónica que ia alastrando, abre o internato com mais de 60 meninas.

1922 ─ 23 de Setembro: de visita ao Carmelo de Pamplona, sente o apelo a fundar a Congregação. Tem 45 anos

1923 ─ 17 de Abril: Telefonema do Arcebispo de Évora comunicando-lhe que pode começar a Obra.
          13 de Maio: Peregrinação do primeiro grupo a Fátima.
          15 a 19 de Maio: Retiro do grupo, na sua casa em Santarém.
          15 de Outubro: Início da vida comunitária e fundação da Congregação.

1924 ─ 17 de Fevereiro: Compra, em leilão, o antigo Convento das Capuchas, para nele instalar as crianças que têm de sair da Casa Braamcamp, por esta ter sido deixada em testamento ao Município de Santarém.

1925 ─ Maio: Peregrinação Nacional a Roma.

1926 ─ Fevereiro: A partir de Fevereiro, campanha depreciativa no jornal «A Batalha».

1928 ─ 12 de Fevereiro: Luiza recebe a medalha «Pro Ecclesia et Pontifice» concedida por Pio XI e entregue, em Santarém por Monsenhor Cónego Francisco Felix.

1930 ─ 22 de Janeiro: tomada de posse da Diocese, do Senhor D. Manuel Gonçalves Cerejeira.
          1 de Março: Luiza Andaluz é agraciada com a Comenda da Ordem de Benemerência, concedida pelo Presidente da República.

1932 ─ 26 de Junho: Entra para o Noviciado que termina em Janeiro do ano seguinte.

1933 ─ 12 de Setembro: com Maria José Falcão toma parte na Peregrinação nacional a Roma. Recebida como Servita, em Fátima.

1934 ─ Maio: Princípios de Maio, momentos dolorosos para Luiza Andaluz ao verificar que um grupo de Irmãs deseja sair da Congregação, o que efectivamente veio a acontecer.

1939 ─ 11 de Outubro: aprovação canónica da Congregação e primeira Profissão de Luiza Andaluz. Tem 62 anos.

1940 ─ 31 de Março: Votos Perpétuos e Primeira Profissão de um grupo de 28 Irmãs.

1951 ─ Fevereiro: Luiza começa a escrever a História da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima.

1953 ─ 5 a 10 de Janeiro: II Capítulo Geral. Luiza Andaluz deixa de ser Superiora Geral.

1973 ─ 20 Agosto: Morte de Luiza andaluz, em Lisboa, Largo de S. Mamede.

1994 ─ Início ao Processo de Canonização de Luiza Andaluz.

2000 ─ 25 de Março: Encerramento diocesano, em Lisboa, do Processo de
Canonização de Luiza Andaluz. A 3 de Abril abertura em Roma.